PT EN

21/11/2020 até 1/03/2021
FROM SEA TO SEA - STANDA SEDLAK


Standa Sedlak é um artista visual nascido em Praga, capital da República Tcheca no Leste Europeu, radicado atualmente em Toronto, capital cultural do Canadá, onde mantém ateliê e desenvolve trabalhos de pesquisa e produção de arte junto às comunidades.

A convite do casal de brasileiros Geórgia Moritz e Rafael Reis veio conhecer o nosso país, e acompanhado de sua mulher Dana, conhecida designer gráfica, aportou em Florianópolis em fevereiro de 2020. Na bagagem trouxe um kilt escocês para seu uso e trinta pinturas recentes com a proposta para que eu exercesse a curadoria da exposição na América Latina.

Pela primeira vez a capital do Estado de Santa Catarina tomava conhecimento e teve acesso ao conjunto de suas pinturas espatuladas e aquareladas na exposição que organizamos no Espaço das Oficinas de Arte do Centro Integrado de Cultura, apoiada pelo Governo do Estado/Fundação Catarinense de Cultura e prestigiada por numeroso público.

Em março de 2020, o mundo foi acometido pela pandemia do Covid-19, e Standa e Dana Sedlak conseguiram retornar ao Parkdale no Canadá um dia antes de fecharem os aeroportos. Entretanto, sem as preciosas obras do artista.

Com as pinturas sob a guarda dos seus amigos Geórgia e Rafael e na expectativa de reabertura dos centros culturais e museus, propusemos ao internacional artista mostrar essas obras para o público joinvilense com a exposição From Sea to Seaque ora se concretiza numa iniciativa do Instituto Internacional Juarez Machado.

Pintor que manuseia com maestria as espátulas e desenha sensíveis aquarelas, Standa Sedlak integra uma geração de artistas contemporâneos respeitados mundialmente por invocarem a natureza em conflito com as questões climáticas e do meio ambiente nos seus países. O título da exposição -  From Sea to Sea (do Mar ao Mar) – faz uma referência ao lema canadense, país com dimensões continentais banhado por três oceanos – Pacífico, Atlântico e Ártico.

Praias desertas, geleiras, montanhas e penhascos, riachos e florestas são temas recorrentes em suas criações, produzidas com pinceladas gestuais, traços de giz de cera e variados movimentos de espátula, ferramentas que ampliam seu clamor pelas artes visuais e pela narrativa ecológica. A quase ausência da figura humana em suas criações traduz o cenário às vezes idílico, outras vezes questionador.

Standa Sedlak trabalhou em estúdios de cinema, cenários de teatro e tem participado de feiras de arte contemporânea na Itália e França. Sua figura lembra um hippie tardio ou militante dos movimentos pacifistas da década de 1970, personificado pela sua arte universal. 

Edson Busch Machado - curador e diretor artístico do Instituto Internacional Juarez Machado




Outras exposições no Instituto:



Newsletter

Cadastre-se e receba novidades.